DestaqueGeral

Técnicos da prefeitura do Recife se reunirão para avaliar deslizamento

Sete pessoas morreram e três ficaram feridas no acidente

A prefeitura do Recife informou que está prevista para a tarde de hoje (26) uma reunião entre autoridades do setor de saneamento e de segurança local, para avaliar a situação, estudar medidas preventivas e definir os próximos passos para os trabalhos periciais relativos ao deslizamento de barreira ocorrido na madrugada da véspera de Natal (24), no bairro Dois Unidos da capital pernambucana.

De acordo com a prefeitura, sete pessoas morreram e três ficaram feridas em consequência do deslizamento. As vítimas fatais foram Daffyne Kauane, 9 anos, e sua avó Lucimar Alves, 50; Cláudia Bezerra, 45; Emanuel Henrique de França, 25, sua esposa, Érika Virgínia, 19, e seu filho Érick Júnior; e Lia de Oliveira, 45.

Equipes do governo de Pernambuco e especialistas técnicos estão apurando as causas do deslizamento de terra, após relatos feitos por moradores, de que dois canos da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) haviam se rompido antes da tragédia. Um inquérito já foi aberto pela Polícia Civil para investigar o caso.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o deslizamento ocorreu por volta das 2h55 na Rua Bela Vista, que fica no Córrego do Morcego. A Secretaria de Infraestrutura informou que o primeiro chamado para a Compesa foi feito às 3h05. Às 3h22, o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estavam no local.

A Compesa disponibilizou 50 técnicos para atender a ocorrência e analisar o rompimento dos canos na encosta. A companhia afirmou que faz monitoramentos constantes do abastecimento de água na área, em contato com líderes comunitários, e negou ter havido registro de vazamentos no local.

Por meio de nota divulgada ontem (25), a prefeitura do Recife informou que uma obra de contenção não teria evitado o deslizamento de barreira que causou a tragédia na madrugada da véspera de Natal.

“As obras de contenção têm o objetivo de evitar deslizamentos causados pela chuva, quando a água vem de fora do terreno. O caso do deslizamento da terça-feira (24) é diferente, a água veio de dentro da barreira, uma obra de contenção não teria evitado o acidente. O local do deslizamento não era considerado de alto risco para acidente causado por chuva”, diz a nota.

Agência Brasil

Mostrar mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios