DestaquePolícia

Sniper da PM mata sequestrador que fazia reféns em ônibus na Ponte Rio-Niterói

Um homem armado que mantinha reféns dentro de um ônibus na Ponte Rio-Niterói, na manhã desta terça-feira (20), foi baleado e morreu, após quase 4 horas de sequestro. A ação foi acompanhada por policiais da PRF (Polícia Rodoviária Federal), da PM (Polícia Militar) e forças especiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais).

Por volta das 9h, uma sequência de disparos foi ouvida após o sequestrador descer do veículo e arremessar uma mochila. O Comando da PM afirmou à GloboNews que o tiro partiu de um sniper da PM e atingiu o sequestrador na perna. Ele foi colocado em uma ambulância, mas não resistiu e morreu.

O sequestrador – que ainda não teve a identidade revelada – dizia ser PM, ameaçava incendiar o veículo e usava uma arma de brinquedo.

Após o fim da ação, o governador do Rio, Wilson Witzel, foi de helicóptero ao local, desceu celebrando o desfecho e conversou com agentes de segurança que coordenaram a ação.

Durante as negociações, seis passageiros – dois homens e quatro mulheres – que eram mantidos reféns chegaram a ser liberados. A polícia afirmou que, ao todo, 37 pessoas estavam no veículo. Ainda não se sabe o motivo do sequestro.

A AÇÃO

O ônibus é da Viação Galo Branco, da linha Jardim de Alcântara-Estácio, e foi abordado por volta das 5h30. Um dos reféns afirmou que o sequestrador embarcou em um ponto de ônibus já na Ponte Rio-Niterói e entrou anunciando o sequestro.

Ele amarrou as mãos das vítimas e ordenou que eles fechassem as janelas. Ao anunciar o sequestro, ele teria afirmado que não queria pertence de nenhum passageiro, e pintou o vidro do motorista e as câmeras com tinta spray.

O refém também afirmou à GloboNews que o autor do sequestro permaneceu calmo durante ação, por vezes riu e fez piadas. O mesmo refém afirmou que o sequestrador pediu um pagamento de R$ 30 mil e em nenhum momento impediu que passageiros usassem seus telefones celulares para se comunicarem com parentes ou outras pessoas.

REFÉNS LIBERADOS

Ao usar a tinta spray dentro do veículo, duas mulheres começaram a passar mal e pediram para serem liberadas. Elas foram as duas primeiras reféns a saírem do ônibus, uma às 6h19 e outra às 6h38.

Outros dois homens foram liberados também alegando que estavam passando mal.

Durante a ação, a polícia tratava o sequestro como premeditado, uma vez que o sequestrador aparentava já ter objetos preparados, como um coquetel molotov que ele jogou para fora do veículo. Ele também tinha gasolina e uma pistola de choque.

Em determinado momento, o sequestrador chegou a colocar parte do corpo para fora do veículo. Ele estava de camisa branca, calça preta, boné preto e usa um pano preto para cobrir o rosto.

A linha desse ônibus sai do Jardim Alcântara, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, e vai até o Centro do Rio. Grande congestionamento foi formado no acesso da via e a estimativa é que o sequestro provocou cerca de 80 quilômetros de engarrafamento na cidade do Rio.

No Twitter, a Ecoponte, concessionária da ponte Rio-Niterói, recomenda o uso de barcas para fazer a travessia no sentido Rio. Não há alternativa viária para fazer o trajeto.

Mostrar mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios