Geral

Rio rescinde contrato de organização social que tem 5 mil funcionários

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou nesta segunda-feira (20) que rescindiu contrato com a organização social (OS) Viva Rio, que atua na gestão das unidades de saúde de atenção primária da zona sul, regiões da Leopoldina e de Madureira, além das unidades de pronto atendimento do Alemão e da Rocinha e dos centros de atenção psicossocial Maria do Socorro Santos, na Rocinha, e João Ferreira Silva Filho, no Complexo do Alemão.

A OS Viva Rio tem nessas unidades 5.339 funcionários, que entraram em aviso prévio. Em comunicado interno divulgado aos trabalhadores, a Viva Rio afirma que o processo de demissão só será concluído se a prefeitura depositar os recursos necessários para as rescisões até 7 de fevereiro. Caso contrário, as demissões serão suspensas.

A Secretaria Municipal de Saúde diz, em nota, que a decisão é estratégica e faz parte da substituição de todas as organizações sociais pela empresa pública municipal RioSaúde, que já é responsável pela gestão de 75 unidades de saúde. Segundo a prefeitura, o novo modelo gera economia de R$ 200 milhões para a cidade.

O município afirma que está fazendo os cálculos e cumprirá com os compromissos referentes às rescisões trabalhistas.

Além disso, a prefeitura diz que a RioSaúde trabalha para a admissão dos funcionários das organizações sociais, o que se dará de acordo com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) . “A RioSaúde está com processo seletivo para contratação ou recontratação daqueles profissionais que se interessarem em permanecer prestando serviço nas áreas incorporadas”, acrescenta o texto.

Agência Brasil

Mostrar mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios