fbpx
Tecnologia

No Dia Internacional da Mulher, usuárias tuítam frase de protesto

A MON BORGESSÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Na luta contra o feminicídio e a violência doméstica, usuárias no Twitter começaram a postar no Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta sexta-feira (8), a frase “parem de nos matar”.

“Eu fico pensando na apatia e passividade das pessoas perante os casos de agressão e feminicídio. Enquanto nos matam no meio da rua, em festas, lugares públicos em geral, quem assiste se cala, não reage, não ajuda. Não dá pra entender”, afirmou uma internauta.

O crime hediondo está previsto no Código Penal desde 2015 e tem pena de reclusão de 12 a 30 anos -período maior do que o de 6 a 20 anos em caso de homicídio simples. Segundo levantamento feito pela Folha para marcar a data, foram contabilizadas 179 vítimas de violência em janeiro deste ano -sendo que 119 delas morreram.

Ainda de acordo com a análise, 71% de todas essas mulheres foram atacadas pelo atual ou ex-companheiro.

Em 2018, foram registradas 2.159 tentativas de assassinatos de mulheres, segundo levantamento feito pela reportagem junto às secretarias de Segurança das 27 unidades federativas.

“Não queremos flores, queremos que parem de nos matar” foi uma frase reproduzida por diversas usuárias.

Mídia NINJA

@MidiaNINJA

8 de Março é sim uma data para celebrarmos e lembrarmos das conquistas, mas é importante, hoje e em todos os dias, seguirmos lutando contra os preconceitos, violências e desigualdades.
Arte: @belandradelima / @designativista

55 pessoas estão falando sobre isso

Houve ainda resposta a declarações da ministra Damares Alves nesta quarta. A ministra de Bolsonaro afirmou que o novo governo vai ensinar meninos a levar flores e a abrir porta do carro para as mulheres. “Esquece flores e abrir portas. Ensinem a nos respeitar e PAREM DE NOS MATAR”, tuitou uma internauta.

Fonte: Tech ao Minuto

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.