fbpx
DestaqueNotícias

Mourão diz que só vê confronto com Venezuela se Brasil for atacado: ‘Mas Maduro não é louco a esse ponto’

A Rússia acusou, nesta sexta-feira (22), os Estados Unidos de usar a ajuda humanitária enviada à Venezuela como “um pretexto para uma ação militar” para derrubar o presidente Nicolás Maduro.

O ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que os EUA e seus aliados na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão discutindo formas de armar a oposição venezuelana e que Washington está posicionando soldados e equipamentos nos arredores do país sul-americano.

O vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov, anunciou na quinta-feira (21) que Rússia e Venezuela teriam reuniões em diferentes níveis para abordar a crise que afeta o país sul-americano.

O ministro venezuelano da Indústria e Produção Nacional, Tareck El Aissami, visita nesta sexta-feira (22) Moscou para uma reunião com o vice-primeiro-ministro russo, Yuri Borisov. A China também questionou a entrega de comida e remédios.

— Se a chamada ajuda humanitária chegar a ser enviada à força para a Venezuela, poderá desencadear um conflito e provocar graves consequências —  disse Geng Shuang, porta-voz do ministério de Relações Exteriores da China.

— A China é contra uma intervenção militar na Venezuela e contra qualquer comportamento que possa causar uma escalada (de tensões) ou uma tormenta política —  completou Shuang.

O líder opositor Juan Guaidó, reconhecido por 50 países (incluindo o Brasil) como presidente interino, se comprometeu a fazer chegar “de uma forma ou de outra” a ajuda humanitária ao país a partir de diversos pontos na fronteira, neste sábado (23), apesar dos esforços militares comandados por Maduro para bloquear a entrada de suprimentos. O governo teme que a entrega seja um disfarce para facilitar uma intervenção estrangeira.

O envio de ajuda para os venezuelanos que sofrem com a crise econômica se tornou um foco de luta de poder entre Maduro e Guaidó. O presidente ordenou aos militares que impeçam a entrada dos mantimentos, enquanto o opositor pede ao Exército que libere a passagem dos carregamentos.

As Forças Armadas seguem leais a Maduro.  A fronteira entre Brasil e Venezuela foi fechada nesta quinta (21), por ordem do presidente.

Fonte:Gauchazh

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
error: Conteúdo protegido !!