DestaqueNotícias

Mortes causadas pela chuva aumentam em Minas Gerais, informa Defesa Civil

O ano começa com a população de Minas Gerais contando mortes e prejuízos com a estação chuvosa. A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) informou, nesta quinta-feira (2), que o número de mortes por causa das chuvas em Minas, desde outubro subiu para onze. Os óbitos foram registrados em oito cidades do estado.

Com a tragédia em Guapé, no Sul do estado – onde pai, mãe e filha morreram arrastados pelo súbito aumento do nível na cachoeira em que aproveitavam o feriado de 1º de janeiro –, subiu para 11 o número de óbitos provocados por tempestades em cidades mineiras. E temporais nos dois primeiros dias de 2020 espalharam estragos por várias outras regiões.

Na Zona da Mata, uma cratera engoliu um trecho da MG-447, carregando um carro, entre os municípios de Ervália e Coimbra. Ninguém se feriu, mas a estrada está interditada. Na Grande BH, o rastro de destruição se espalhou como consequência da chuva, com vias interrompidas, veículos submersos, transtornos para moradores e apagões de energia elétrica. Apesar dos danos, não houve vítimas, mas a capital está em alerta de risco geológico, e a previsão é de mais chuva, pelo menos até domingo.

Dos onze óbitos confirmados pela Defesa Civil, seis ocorreram em dezembro. No início do mês passado, o motorista de aplicativo Wagner Venâncio dos Santos, de 36 anos, e a passageira Maria Regina de Deus, de 60, morreram em Sete Lagoas, na Região Central de Minas. O veículo em que eles estavam foi arrastado pela enxurrada.

Ainda no começo de dezembro, uma mulher morreu em Muriaé, na Zona da Mata. De acordo com a Defesa Civil, a vítima Daniela Carla de Oliveira, de 41 anos, foi arrastada pela forte enxurrada e ficou presa embaixo de um carro no centro do município. Ela chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada para um hospital, mas morreu no dia seguinte.

No dia 13, um óbito foi registrado em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo a Defesa Civil, Gislei Andrade de Oliveira, de 37 anos, ficou ilhado no teto de um carro durante uma tempestade que atingiu a cidade, mas se desequilibrou e desapareceu na enxurrada.

No dia 23 de dezembro, Gilmara Silva Soares, de 22 anos, morreu arrastada por uma enxurrada no bairro Vale do Jatobá, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte.

As outras três mortes aconteceram em outubro, em Januária, no Norte de Minas, em Santa Rita do Sapucaí, no Sul do estado, e em Viçosa, na Zona da Mata.

Informações Estado de Minas/G1

Mostrar mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios