DestaqueNotícias

Ministério Público denuncia 15 vereadores por desvios em Uberlândia

Os parlamentares foram investigados por desvio de recursos da verba indenizatória entre 2017 e 2019 e esquema de propina praticado por membros da mesa diretora

O Ministério Público Estadual denunciou 15 vereadores da Câmara Municipal de Uberlândia por crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica. Os parlamentares foram investigados por desvio de recursos da verba indenizatória entre 2017 e 2019 e ainda em um esquema de propina praticado por membros da mesa diretora.

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) também ofereceu denúncia contra outras oito pessoas envolvendo assessores parlamentares, donos de gráficas que emitiam as notas frias para reembolso da verba e ex-servidores da Câmara que, segundo a acusação, teriam concorrido com as práticas criminosas.

Durante as investigações, quatro vereadores que foram presos na operação Má Impressão celebraram acordos para não responderem a processo criminal e renunciaram aos cargos, tendo que ressarcir mais de R$ 500 mil aos cofres públicos.

Dos 21 que foram presos, 14 permanecem no presídio da cidade e tiveram os mandatos suspensos após decretação das prisões preventivas. Entre eles estão quatro membros da mesa diretora – um quinto vereador já estava afastado por outras denúncias. O principal entrave agora é a nomeação de presidência interina para a convocação de suplentes e para que os trabalhos no Legislativo Municipal possam fluir.

“Qual é o sentido dos vereadores gastarem R$ 270 mil por mês de verba de gabinete? Isso dá quase R$ 14 milhões durante o mandato. Não há lógica. Nós vamos tolerar esse gasto público até quando”, afirmou o promotor de Justiça e coordenador do Gaeco, Daniel Martinez, sobre os gastos públicos investigados.

Estado de Minas

Mostrar mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios