DestaquePolícia

Justiça determina apreensão de passaporte de empresário do setor de cigarro de palha

A 3ª Vara Criminal da Comarca de Uberlândia determinou a apreensão do passaporte de um empresário do setor de cigarro de palha, alvo da operação “Porronca”, desencadeada na semana passada pelo Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira).

A motivação para que o Ministério Público de Uberlândia solicitasse à Justiça a ordem de apreensão do passaporte foi baseada no conteúdo de um dos celulares confiscados durante a ação da força-tarefa que, na última terça-feira (6/8), desarticulou um esquema de sonegação fiscal responsável por um prejuízo de mais de R$ 100 milhões aos cofres públicos.

Nas informações recuperadas pela equipe técnica da Receita Estadual ficou constatado que o empresário tinha a intenção de deixar o país, tendo sido identificados, inclusive, os dados das passagens aéreas com destino a Las Vegas, nos Estados Unidos. A viagem estava marcada para a próxima segunda-feira (19/8).

A ordem da Justiça determina ainda que os dados do investigado sejam inseridos nos sistemas de controle de fronteiras da Polícia Federal e órgãos competentes, para evitar que ele se ausente do país. Segundo denúncias, o empresário, que está acostumado a viajar para o exterior, teria confidenciado a pessoas próximas que não voltaria mais ao Brasil.

A Justiça expediu ainda três novos mandados de busca e apreensão que foram cumpridos em endereços relacionados ao investigado. Intimado na tarde desta terça-feira (13/8), o empresário, que foi representado pelo advogado, tem um prazo de 24 horas para entregar o passaporte.

Cerco à sonegação

Em constante atuação na repressão aos crimes contra a ordem tributária, o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (Cira) definiu o setor de cigarro de palha como alvo de duas grandes operações da força-tarefa neste ano.

Em junho, Receita Estadual, Ministério Público e Polícia Civil desencadearam a operação “Paieiro”. Na ocasião, foi encontrado R$ 1 milhão em espécie, escondido em uma mala, durante o cumprimento de sete mandados de busca e apreensão em endereços comerciais e residenciais no município de Pitangui, na região Centro-Oeste do Estado.

Menos de dois meses depois, a força-tarefa deu sequência aos trabalhos com a operação “Porronca”. Desta vez, com a participação do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), foram encontrados R$ 2,5 milhões em espécie, também escondidos, durante o cumprimento de 50 mandados de busca e apreensão em oito municípios mineiros e dois no Estado de Goiás. Uma das empresas investigadas está localizada em Uberlândia e pertence ao empresário cuja Justiça determinou a apreensão do passaporte.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
%d blogueiros gostam disto: