fbpx
Notícias

Dois ex-governadores são investigados por desvios na Saneago

Processo corre em segredo de Justiça

Dois ex-governadores de Goiás são alvos das investigações da Polícia Federal sobre fraude em licitações e desvio de dinheiro público da Companhia Saneamento de Goiás (Saneago). De acordo com o delegado Charles Gonçalves Lemes, ainda não é possível divulgar nomes já que o inquérito está em segredo de Justiça.

Lemes disse que a segunda fase da Operação Decantação, deflagrada hoje (28), em Goiânia e Aparecida de Goiânia, é resultado de análises de materiais apreendidos na primeira fase da operação, deflagrada em 2016.

“Ficou demonstrado de forma veemente que há um nicho de favorecimento a um grupo de três empresas de propriedade de um único casal. Tudo com o apoio de um servidor da Saneago que ocupava à época a direção da gestão corporativa da empresa e que foi alocada comprovadamente para defender interesses do ex-chefe de gabinete do ex-governador e dessas empresas”, afirmou.

São investigados dirigentes da empresa e agentes públicos do governo do estado, entre os anos de 2012 e 2016.

De acordo com a PF, um ex-chefe de gabinete criou duas empresas de fachada em sua residência “para lavar o dinheiro desses contratos” que eram firmados com a companhia estadual.

Hoje, agentes cumpriram cinco mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão, expedidos pela 11ª Vara Federal de Goiás. Nas ações foram encontradas duas malas com cerca de R$ 1 milhão em espécie em cada. Uma estava em um carro do ex-chefe de gabinete do governo goiano e outra na residência da filha desse servidor que também é alvo da operação.

“A filha do ex-chefe de gabinete do governo que ocupava a chefia de comunicação da governadoria de Goiás junto ao Distrito Federal fez um saque de R$ 3 milhões em espécie enquanto tinha salário de R$ 3.700”, contou o delegado. As movimentações atípicas, consideradas incompatíveis com a renda da servidora ainda se repetiram em 2012 e em 2014, quando foram movimentados R$ 28 milhões em sua conta bancária.

Segundo Lemes, o prejuízo da Saneago “é estratosférico e inestimável”. O grupo de empresas era vencedor de todas as licitações realizadas pela companhia incluindo um contrato de alocação de máquinas no valor de R$ 32 milhões. “Alocação de máquinas não era o ramo de nenhuma dessas empresas e ainda assim elas venceram a licitação”, completou o delegado.

Agência Brasil

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.