fbpx
DestaqueNotícias

Defesa de Michel Temer entra com pedido de habeas corpus

O documento foi distribuído ao desembargador federal Iva Athié, relator da Operação Prypiat na Corte carioca

A defesa do ex-presidente Michel Temer (MDB) entrou com pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2° Região (TRF-2). O emedebista foi preso na manhã desta quinta-feira (21/3) no âmbito da Operação Lava Jato. As informações são da revista Veja.

O recurso foi distribuído ao desembargador federal Iva Athié, relator da Operação Prypiat na Corte carioca, pois o caso de Temer é conexo à investigação. Não foi informado prazo para o magistrado decidir sobre a solicitação apresentada pela defesa para que Temer seja liberado.

Entenda
A detenção do ex-presidente se deu no âmbito da operação Descontaminação, um desdobramento da Lava Jato, e cumpre oito mandados de prisão preventiva, dois mandados de prisão temporária e 26 de busca e apreensão nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná, além do Distrito Federal. Parte da apuração se refere ao pagamento de propinas para a construção da usina Angra 3, no Rio de Janeiro.

A investigação teria como base as delações do empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix, e do operador financeiro Lucio Funaro. Sobrinho citou acordo sobre “pagamentos indevidos que somam R$ 1,1 milhão, em 2014, solicitados por João Baptista Lima Filho, coronel da reserva da Polícia Militar e amigo de Temer desde os anos 80, e pelo ministro Moreira Franco, com anuência do então presidente, no contexto do contrato da AF Consult Brasil com a Eletronuclear.

Além de Temer, Moreira Franco e o coronel Lima, os pedidos de prisão atinge Maria Rita Fratezi, arquiteta e mulher do coronel Lima; Carlos Alberto Costa, sócio do coronel Lima na Argeplan; Carlos Alberto Costa Filho, diretor da Argeplan e filho de um dos envolvidos na operação; Vanderlei de Natale, sócio da Construbase e Carlos Alberto Montenegro Gallo, administrador da empresa CG IMPEX.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.