Política

Crivella pediu recursos para pagar 13º dos servidores, diz Bolsonaro

Presidente falou sobre o assunto ao deixar o Palácio da Alvorada

O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (11) que o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, pediu ajuda federal para pagar o décimo terceiro salário dos servidores.

“Ele está com a corda no pescoço, assim como um montão de prefeitos e governadores. Está buscando recursos para pagar o benefício, se for possível e legal da nossa parte para poder atendê-lo”, disse o presidente ao deixar o Palácio da Alvorada na manhã desta quarta-feira.

Bolsonaro e Crivella se reuniram ontem (10), em Brasília. De acordo com o presidente, o prefeito do Rio também busca recursos direto com os ministérios e com a Caixa Econômica Federal. “Está correndo atrás”, disse Bolsonaro.

Crise na saúde

Nessa terça-feira (10), a Secretaria Municipal de Fazenda do Rio informou que o pagamento do 13º salário dos servidores da prefeitura do Rio, marcado o dia 17, ficará comprometido se a Justiça determinar o bloqueio nas contas do município. Devem ser pagos 174 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas.

Há um embate judicial sobre a possibilidade de bloqueio de contas da prefeitura para o pagamento dos funcionários terceirizados da área de saúde do Rio de Janeiro. Os trabalhadores estão com salários atrasados há dois meses.

No último dia 4, o vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-RJ), desembargador Cesar Marques Carvalho, determinou o arresto de R$ 325 milhões de uma conta da prefeitura. Os recursos seriam usados para quitar os salários atrasados de outubro, assim como o pagamento da folha de novembro, do 13º salário e das rescisões contratuais dos terceirizados da área da saúde.

Na quinta-feira (5), o Tribunal Superior do Trabalho (TST) suspendeu o bloqueio de R$ 325 milhões das contas da prefeitura do Rio que seriam destinados a pagar os salários atrasados dos terceirizados da área da saúde.

A decisão do presidente do TST, ministro João Batista Brito Pereira, acatou o pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) para suspender a liminar. O dinheiro tinha sido depositado pela União na conta da prefeitura para cumprir compromissos do legado olímpico e do programa Minha Casa, Minha Vida, entre outros.

No dia seguinte (6), o vice-presidente do TRT-RJ intimou novamente o município do Rio de Janeiro, a indicar, em 24 horas, outras contas da prefeitura que não estejam vinculadas à União para que fosse possível o repasse às organizações sociais e, com isso, fosse feito o pagamento dos terceirizados.

A assessoria do TRT-RJ informou que a medida tomada pelo desembargador Cesar Marques Carvalho “não significa que houve um novo arresto/bloqueio das contas da prefeitura”. “O desembargador apenas determinou que o município indique novas contas. De posse dessa informação, o magistrado tomará nova decisão.”

Paralisação

O TRT-RJ fará hoje à tarde uma audiência de conciliação relativa ao dissídio coletivo de greve dos funcionários terceirizados da área de saúde do Rio de Janeiro, que estão parados desde ontem (10).

A paralisação devido ao atraso nos salários está provocando problemas no atendimento à população do Rio. Somente os casos de emergência estão sendo atendidos. Pacientes que necessitam de atendimento médico na rede municipal de saúde peregrinam por postos de saúde e hospitais municipais a procura de atendimento médico.

Agência Brasil

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios
%d blogueiros gostam disto: