DestaqueSaúde

Covid-19: Rio de Janeiro não tem mais leitos de UTI disponíveis

Capital fluminense atingiu limita de vagas disponíveis para pacientes infectados pelo coronavírus e restam só 4% dos leitos de enfermaria

A ocupação de leitos de UTI para pacientes com Covid-19 atingiu o limite nesta sexta-feira na capital do Rio de Janeiro. Todas as unidades disponíveis na rede pública estão ocupadas, segundo balanço feito pelo governo do Estado. A ocupação de enfermarias está prestes a colapsar também, em 96%.

A rede SUS na capital fluminense possui 923 leitos para Covid-19, sendo 293 de UTI.

Boletim da Prefeitura do Rio de Janeiro aponta que nas últimas 24 horas foram registrados 1148 casos da Covid-19 só na capital, além de 156 mortes.

No Estado, 200 mortes foram registradas nessa quinta-feira. Na quarta, já haviam sido contabilizadas outras 265, número mais alto para um dia desde junho.

Pelo menos outras sete cidades do Rio de Janeiro já atingiram 100% da ocupação de leitos de UTI disponíveis para pacientes com a doença. São elas: Araruama, Miracema, Paraíba do Sul, Sapucaia, Saquarema, Tangua e Teresópolis.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios