fbpx
Nacional

Corpo de mineiro morto nos EUA deve chegar nesta semana em Ipatinga

Joister Pacheco Ataide morreu quinta-feira passada, no desabamento de um celeiro

O corpo do brasileiro Joister Pacheco Ataide, de 38 anos, morto em um acidente enquanto trabalhava em Bethany, pequena cidade do estado de Connecticut, nos Estados Unidos, deverá ser traslado para o Brasil até o próximo fim de semana, para ser sepultado em Ipatinga (Vale do Aço), terra natal de Joister. Por meio de uma campanha de arrecadação na internet, a família já conseguiu cerca de US$ 10,5  mil para custear as despesas do traslado.

A informação foi repassada ao Estado de Minas na tarde desta segunda-feira, por um amigo da família de Joister, também mineiro que mora nos Estados Unidos e está ajudando na organização da campanha para arrecadar recursos. Nesta terça-feira, o corpo será velado nos EUA.
O migrante morreu quinta-feira passada no desabamento de um antigo celeiro, que estava em reforma em Bethany, cidade de 5,6 mil habitantes. Joister trabalhava como carpinteiro  na obra. A estrutura da edificação – construída há mais de 100 anos, por causas ainda desconhecidas, desmoronou, atingindo em cheio o brasileiro, que teve morte instantânea.
Além de Joister, estava na obra somente um outro rapaz, que conseguiu escapar ileso. Imediatamente após o desabamento, ele saiu gritando por socorro.
O brasileiro morava em Danbury (também no estado de Connecticut), distante 50 quilômetros de Bethany. Danbury fica situada a uma distância de 116 quilômetros de Nova York.
Ainda conforme a fonte ouvida pelo Estado de Minas, após a liberação do corpo pelas autoridades americanas, nesta terça-feira, os parentes e amigos de Joister vão participar do velório em Danbury, entre 17h e 20h (horário local).
A mulher de Joister, Lilian Fernandes Silva (que também é mineira de Ipatinga), decidiu velar o corpo no país norte-americano, juntamente com os filhos, e não viajar para o Brasil,  para  acompanhar o sepultamento.  Conforme um amigo da família, uma das razões de Lilian ter optado por não se deslocar para o enterro do corpo do marido é que os dois filhos do casal, de 11 e 16 anos, perderiam vários dias de  aula, sendo que o limite permitido de faltas na escola no estado de Connecticut é de cinco dias por ano.
Joister Pacheco tinha se mudado para os Estados Unidos há dois anos e seis meses, onde havia morado anteriormente, por oito anos, tendo retornado ao Brasil em 2010 e permanecendo por seis anos no Vale do Aço, partindo novamente em busca do “sonho americano”, mas acabou encontrando a morte, de maneira acidental.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.