fbpx
Esportes

Com trabalho mais longevo, Mano se aproxima de 1.000 dias no comando do Cruzeiro

Técnico completará marca expressiva pelo clube no dia 22 de abril

Na segunda passagem pelo Cruzeiro, o técnico Mano Menezes já está em seu trabalho mais longevo da carreira. Desde seu anúncio, em 26 de julho de 2016, passaram-se 965 dias, que superaram os períodos por Grêmio (951), Corinthians (904) e Seleção Brasileira (853). Como tem contrato com o clube até 31 de dezembro, o gaúcho alcançará o milésimo dia de labuta na Toca da Raposa 2 em 22 de abril, logo após o segundo jogo da final do Campeonato Mineiro (21/4). Para chegar até lá, o time celeste terá de passar por duas fases de mata-mata no Estadual: quartas de final e semifinal. Nesta quarta-feira, às 21h30, haverá o último jogo da etapa classificatória, contra a Caldense, no Mineirão.

Se cumprir o vínculo até o fim do ano, Mano completará 1.253 dias no Cruzeiro. Técnicos que também conduziram projetos em longo prazo ficaram menos tempo no clube. Campeão brasileiro em 2013 e 2014, Marcelo Oliveira comandou o elenco de 1º de janeiro de 2013 a 2 de junho de 2015 (882 dias). Adilson Batista, duas vezes campeão mineiro (2008 e 2009) e finalista da Copa Libertadores (2009), teve contrato de 1º de janeiro de 2008 a 3 de junho de 2010 (884 dias). Levir Culpi chefiou o grupo cruzeirense entre o primeiro dia de 1998 e 21 de novembro de 1999 (689 dias), enquanto Vanderlei Luxemburgo, marcado pela conquista da Tríplice Coroa em 2003 (Mineiro, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro), ficou na Toca de 13 de agosto de 2002 a 27 de fevereiro de 2004 (563 dias).
O Cruzeiro acertou o retorno de Mano Menezes para ‘apagar incêndio’. À época, o time estava na 18ª posição no Campeonato Brasileiro, com apenas 15 pontos em 15 rodadas (33,33% de aproveitamento), fruto dos maus resultados obtidos pelo antecessor, o português Paulo Bento. Com a mudança de técnico, a Raposa se recuperou na competição e saltou para o 12º lugar, com 51 pontos, além de atingir as semifinais da Copa do Brasil, sendo eliminada pelo campeão Grêmio.
Em 2017, Mano teve a oportunidade de implantar sua filosofia de trabalho desde o início da temporada. Apegado ao futebol de resultados, especialmente nas competições eliminatórias, ele quebrou um jejum de oito anos sem títulos de maior expressão ao conquistar a Copa do Brasil de 2017, com uma classificação graças ao gol qualificado como visitante (contra o Palmeiras, nas quartas de final) e duas nos pênaltis (Grêmio, semifinal, e Flamengo, na decisão). Em 2018, o bi consecutivo da competição nacional veio com duas vitórias sobre o Corinthians na decisão, depois de o time celeste passar por Athletico, Santos e Palmeiras nas fases anteriores.
A estada prolongada em Belo Horizonte proporcionou a Mano Menezes outros números expressivos, como a vitória de número 100, alcançada no último sábado (3 a 0 sobre o Tupi, em Juiz de Fora, pela 10ª rodada do Mineiro), e a quinta posição entre os técnicos que mais dirigiram o Cruzeiro, com 204 partidas – abaixo de Ayrton Moreira (206), Niginho (256), Levir Culpi (257) e Ilton Chaves (362).
A próxima marca a ser superada por Mano é a de jogos por um mesmo clube. Em duas passagens pelo Corinthians ele acumulou 248 partidas, com 136 vitórias, 64 empates e 48 derrotas. No Cruzeiro, foram 16 entre setembro e dezembro de 2015 (8V, 6E e 2D) e 188 desde julho de 2016 (92V, 54E e 42D).
Trabalhos mais longevos de Mano Menezes:
Cruzeiro – 26 de julho de 2016 até o presente – 965 dias *
Grêmio – 21 de abril de 2005 a 28 de novembro de 2007 – 951 dias
Corinthians – 1º de janeiro de 2008 a 23 de julho de 2010 – 904 dias *
Seleção Brasileira – 24 de julho de 2010 a 23 de novembro de 2012 – 853 dias

* Números levam em consideração apenas a passagem mais duradoura. Mano também treinou o Corinthians em todo o ano de 2014 e o Cruzeiro entre 1º de setembro e 6 de dezembro de 2015

Campanhas pelo Cruzeiro (contando a 1ª passagem):

Campeonato Brasileiro 2015: 16 jogos, 8 vitórias, 6 empates e 2 derrotas (8º lugar)

Campeonato Brasileiro 2016: 22 jogos, 10 vitórias, 6 empates e 6 derrotas (12º lugar)

Copa do Brasil 2016: 6 jogos, 3 vitórias, 1 empate, 2 derrotas (semifinal)

Campeonato Mineiro 2017: 15 jogos, 9 vitórias, 5 empates, 1 derrota (vice-campeão)

Copa do Brasil 2017: 14 jogos, 7 vitórias, 5 empates, 2 derrotas (campeão)

Copa Sul-Americana 2017: 2 jogos, 1 vitória, 1 derrota (primeira fase)

Primeira Liga 2017: 5 jogos, 3 vitórias, 2 empates (semifinal)

Campeonato Brasileiro 2017: 38 jogos, 15 vitórias, 12 empates 11 derrotas (5º lugar)

Campeonato Mineiro 2018: 16 jogos, 13 vitórias, 2 empates, 1 derrota (campeão)

Copa Libertadores 2018: 10 jogos, 4 vitórias, 3 empates, 3 derrotas (quartas de final)

Copa do Brasil 2018: 8 jogos, 5 vitórias, 2 empates e 1 derrota (campeão)

Campeonato Brasileiro 2018: 38 jogos, 14 vitórias, 11 empates e 13 derrotas (8º lugar)

Campeonato Mineiro 2019: 10 jogos, 6 vitórias, 4 empates (em andamento)

Copa Libertadores 2019: 1 jogo, 1 vitória (em andamento)Amistosos: 3 jogos, 1 vitória, 1 empate, 1 derrota

* Obs: o auxiliar técnico Sidnei Lobo foi técnico interino em 16 dos 204 jogos de Mano pelo Cruzeiro

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.