Política

Calendário judaico faz presidente do Senado ter dia de reclusão

Em razão da data mais sagrada do caledário judaico, o dia do perdão supremo, o Yom Kipur, o presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), passou o comando da reunião de líderes desta terça-feira (8) ao vice-presidente da Casa, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG). Um dos desafios da reunião é construir um acordo que assegure a votação em segundo turno da reforma da Previdência no dia 22 de outubro. A oposição foi contra a redução de prazos que possibilitaria a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 ainda nesta semana e quer uma decisão sobre a divisão dos recursos do pré-sal, antes da votação em segundo turno no plenário da Casa.

 O presidente do Senado, Davi Alcolumbre,  durante sessão deliberativa extraordinária para votação dos destaques da reforma da previdência.
“Nós, judeus, ficamos em jejum e oração”, explicou Davi Alcolumbre no Facebook – Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

Já a sessão do Congresso Nacional de hoje será comandada pelo vice-presidente do Congresso, deputado Marcos Pereira (Republicanos-SP). “Nós, judeus, ficamos em jejum e oração, sem contato externo ou qualquer tipo de comunicação”, explicou Alcolumbre por meio de sua conta no Facebook.

Na pauta da sessão do Congresso, marcada para as 14h, estão o veto ao projeto que altera regras para partidos políticos e para eleições, o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2020 (PLN 5/2019) e projetos de abertura de crédito no Orçamento de 2019.

O veto parcial (Veto 35/2019) é o único que resta na pauta e trata de dispositivos do projeto de lei sobre regras eleitorais (PL 5.029/2019). O projeto foi convertido na Lei 13.877, de 2019. Se o veto for rejeitado, os trechos serão inseridos na lei e a maior parte deles pode valer para as eleições de 2020.

Fonte
Agência Brasil

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios