Geral

Audiência pública debate terceirização no Serviço Público

Nesta segunda-feira, 2, especialistas, sindicalistas, representantes de classe e servidores públicos estiveram na Câmara de Pouso Alegre para debater os aspectos e impactos da terceirização na Administração Pública em Pouso Alegre.
A audiência pública foi promovida a pedido dos vereadores Dr Edson e Dionísio Pereira contando com a presença dos vereadores André Prado, Campanha e Oliveira Altair Amaral.
A discussão foi iniciada após a aprovação da Lei 6205/2020 que autorizou a Prefeitura Municipal a extinguir cargos efetivos como Terapeuta Ocupacional, Fisioterapeuta, Farmacêutico, Psicólogo dentre outros e terceirizá-los.
Dos inscritos para falar, todos se posicionaram contrariamente à terceirização: professor e diretor do Curso de Direito da Faculdade UNA, Valdomiro Vieira; a desembargadora Camila Guimarães Zeidler, terceira vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho de Minas; José Donizete Andrade, advogado do Sisempa (Sindicato dos Servidores Municipais de Pouso Alegre); Dulcineia Costa, presidente do Sipromag (Sindicado dos Profissionais do Magistério); Anderson Luis Coelho, presidente do Conselho Regional de Fisioterapia de Minas Gerais; Luanda Queiroga, presidente do Sindicato dos Psicólogos de Minas Gerais; Ana Maria Bertelli, representando o Conselho Regional de Serviço Social; Denise Vilela do Conselho Estadual de Assistência Social de Minas Gerais; Aline Facheti, do Conselho Regional de Farmácia;  Karla Ferreira representando a 9ª Região do Conselho Regional de Nutrição; e Cláudia Esposito representando o Conselho Regional de Psicologia.
O vereador Oliveira se posicionou favoravelmente à lei, já os vereadores André Prado e Campanha se mostraram contrários à terceirização. O vereador Dionísio Pereira reforçou a importância do debate do tema.
Mostrar mais

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios