Menu
minas_brasil_tabacos.jpg

Queijo do Sul de Minas é premiado em concurso na França Destaque

Queijo do Sul de Minas é premiado em concurso na França

Onze medalhas. Esse foi o desempenho de produtores de queijos de Minas Gerais no “Mondial du Fromage”, um dos mais tradicionais concursos do mundo. Participaram da disputa, que aconteceu na França, mais de 700 produtos de 20 países.

O grupo mineiro participou de uma missão técnica na França organizada pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg). O principal objetivo da missão foi conhecer o processo de maturação dos queijos de leite cru. Como forma de divulgar os seus produtos, os produtores também participaram do “Mondial du Fromage”. O resultado não poderia ser melhor. Os produtores mineiros receberam onze medalhas. “Nossos produtores estão de parabéns por terem colocado o queijo de Minas entre os melhores do mundo. Estas conquistas confirmam a qualidade dos queijos mineiros e são um estímulo para quem apoia a produção e para os próprios produtores, pois demonstram que o Queijo Minas Artesanal tem futuro próspero”, disse o presidente da Faemg, Roberto Simões.

A produtora Marli Leite, do município de Sacramento, região de Araxá, foi a grande vencedora nas categorias Ouro e Super Ouro. Ela e o marido, Joel Leite, participam do Programa Estadual Queijo Minas Artesanal desde 2007. A produção de queijo da propriedade do casal é de 70 peças por dia. A comercialização é feita no município, e região de Araxá e Belo Horizonte. A premiação na França foi recebida por Marli Leite. O produtor Reinaldo de Faria Costa, do município de Vargem Bonita, região da Canastra, foi premiado na categoria Prata. Agricultor familiar, ele produz entre 15 e 20 unidades de queijo por dia, na Fazenda Capivara, e também é assistido pelo Programa Queijo Minas Artesanal.

Outra produtora premiada foi Lúcia Maria Resende, de Tiradentes, região do Campo das Vertentes. Ela foi agraciada na categoria Bronze. O prêmio recebido na França não é o único que ela vai colocar na prateleira de casa. Lúcia Maria foi a grande vencedora do Concurso Estadual do Queijo Minas Artesanal, no ano 2016. Ela também participa do programa Queijo Minas Artesanal, recebendo assistência técnica da Emater-MG e tendo sua queijaria cadastrada no IMA. Da região do Serro, quatro queijos foram premiados. Três com medalha de prata e um com medalha de bronze. Dois queijos foram enviados pela Cooperativa dos Produtores Rurais do Serro (Coperserro).  As outras duas premiações do Serro foram obtidas pelo produtor Túlio Madureira. Para o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Pedro Leitão, esse resultado vem comprovar a qualidade do Queijo Minas Artesanal, que superou os tradicionais queijos franceses. “A vitória dos produtores na França é muito significativa. Demonstra o potencial dos nossos queijos no país e no mundo, representando a pujança desse segmento em MG”, diz.

Pedro Leitão lembra que o programa é fundamental para a capacitação dos produtores e melhoria da qualidade de uma das mais tradicionais iguarias do estado. “O objetivo do programa é desenvolver a cadeia dos queijos artesanais mineiros trazendo renda para os produtores, desenvolvimento regional e segurança alimentar”.

Programa Queijo Minas Artesanal

É uma ação do governo de Minas Gerais, coordenado pela Secretaia de Agricultura, Pecuáriae Abastecimento e executado pela Emater-MG, Epamig e IMA. De acordo com o IMA, em todo o estado são 254 queijarias cadastradas nas sete regiões produtoras queijo minas artesanal: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serroe Triângulo Mineiro. O reconhecimento destas regiões é respaldado por estudos do processo de fabricação, em cada região, tendo em vista características peculiares do local de origem, tais como: história, economia, cultura e clima, entre outros itens.

A Emater-MG orienta os produtores sobre adequações das queijarias, currais e anexos, obtenção higiênica do leite, tratamento de água, controle sanitário do rebanho, boas práticas agropecuárias, boas práticas de fabricação e exigências da legislação vigente. A empresa exerce um papel importante na mobilização e organização dos produtores. O IMA é responsável por trabalhar a regularização sanitária nas unidades produtivas de queijo minas artesanal e pela regulamentação das regiões produtoras. A Epamig é responsável por criar tecnologias, realizar pesquisas, adaptar processos e trabalhar na difusão para os produtores de queijo.

Queijos de Minas Gerais premiados no Mondial du Fromage de Tours (Salão Mundial do Queijo):

Super Ouro e Ouro
Araxá – Fazenda Caxambu - produtora Marli Leite (município de Sacramento)

Prata
Canastra – Capela Velha 
Serro – casca lavada -  Cooperativa do Serro 
Serro – casca ácaros - Cooperativa do Serro 
Canastra – Vale da Gurita   
Canastra – Reinaldo de Faria Costa (município de Vargem Grande) 
Serro -  Queijo Kankrej – Túlio Madureira 
Sul de Minas - Santo Casamenteiro – Queijos Cruzília

Bronze
Campo das Vertentes - Sabores do Sítio – Lúcia Resende (município de Tiradentes)  
Serro – Queijo Gir – Túlio Madureira
Sul de Minas  – Queijo d’Alagoa -  Osvaldo Martins de Barros Filho

Comentar usando o Facebook:

voltar ao topo

logo sapuca

 

Últimas Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
Prev Next
Info for bonus Review bet365 here.

Whatsapp banner