cachaca_ouro_velho.jpg

Justiça suspende MP que autoriza privatização da Eletrobras Destaque

Justiça suspende MP que autoriza privatização da Eletrobras

Decisão é de juiz federal de Pernambuco

O juiz Cláudio Kitner, da 6ª Vara da Justiça Federal de Pernambuco, decidiu nesta quinta-feira suspender os efeitos de um artigo da Medida Provisória (MP) 814 que permite a privatização da Eletrobras.

A medida provisória foi publicada pelo presidente Michel Temer no fim de dezembro. Ela retira de uma lei que trata do setor elétrico a proibição de privatizar a Eletrobras e suas controladas — Furnas, Companhia Hidroelétrica do São Francisco, Eletronorte, Eletrosul e a Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE).

O governo anunciou em agosto de 2017 um plano para privatizar a Eletrobras até o final deste ano. O modelo proposto pelo governo, que prevê a diluição da participação da União a menos de 50% das ações por meio de um aumento de capital, precisa passar pelo Congresso Nacional.

Antes de enviar esse projeto, porém, o governo editou a MP 814 para permitir que a estatal contrate os estudos necessários para a privatização.

A medida provisória, além de retirar da lei a proibição para privatizar holding Eletrobras, trouxe mudanças legais para vender também as seis distribuidoras de energia da empresa que operam no Norte e Nordeste do país. O juiz de Pernambuco não suspendeu os demais artigos da MP.

Na decisão, o juiz federal Cláudio Kitner questiona a utilização de Medida Provisória como instrumento hábil a incluir a Eletrobras e suas controladas no Programa de Desestatização lançado.

“É dubitável que a medida adotada pelo Governo Federal atinge, de forma direta, o patrimônio público nacional, permitindo a alienação de todas as empresas públicas do setor elétrico para a iniciativa privada”, escreveu o magistrado na decisão.

O juiz afirma que a MP foi editada “no apagar das luzes” do ano de 2017: “Fica patente, pois, que o artifício utilizado pelo Chefe do Poder Executivo para concretizar sua política pública, se não lesa diretamente o patrimônio, porque estudos mais aprofundados não estão por ora a demonstrar, esbarra de forma violenta no princípio da moralidade, tutelado pela ação popular”.

O Globo

Comentar usando o Facebook:

voltar ao topo
policia.jpg

logo sapuca

 

Mais notícias nacionais

Parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas é regulamentado

Parcelamento de dívidas de micro e pequenas empresas é regulamentado

O Comitê Gestor do Simples Nacional publicou nesta segunda-feira (23), no Diário Oficial da Uniã...

Prefeito e vice ‘vistoriam’ obras em fotomontagem e viram meme

Prefeito e vice ‘vistoriam’ obras em fotomontagem e viram meme

A imagem foi postada junto com uma notícia em rede social da prefeitura, porém após polêmica, ela foi r...

Mais um angolano é suspeito de tráfico de crianças pelo Galeão

Mais um angolano é suspeito de tráfico de crianças pelo…

As investigações constataram, até o momento,  que um africano enviou cinco menores, entre 6 e 11 an...

Câmara tenta votar nesta semana oito medidas provisórias que trancam a pauta

Câmara tenta votar nesta semana oito medidas provisórias que trancam…

A Câmara tentará votar nesta semana oito medidas provisórias que perdem a validade nas próximas seman...

MP que alterou pontos da reforma trabalhista vence nesta segunda

MP que alterou pontos da reforma trabalhista vence nesta segunda

Especialistas divergem sobre o que será feito com os contratos firmados durante os mais de cinco meses de vigê...

Polícia prende prefeito do PSDB acusado de abusar de menina de 8 anos

Polícia prende prefeito do PSDB acusado de abusar de menina…

O prefeito em exercício de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), foi preso neste sábado, 21, s...

cia medica

Info for bonus Review bet365 here.

Whatsapp banner