Menu
cachaca_ouro_velho.jpg

2ª maior manobra política em 20 anos garante vitória de Temer na CCJ Destaque

2ª maior manobra política em 20 anos garante vitória de Temer na CCJ

A segunda maior movimentação política dos últimos 20 anos. Foram 25 trocas de membros da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, às vésperas da votação sobre a denúncia contra o presidente Michel Temer, acusado de corrupção passiva pelo Ministério Público Federal (MPF).

 

A manobra atingiu o resultado almejado pela base aliada do governo: a recusa do relatório favorável ao andamento do processo. Mas não rendeu somente bonus. Também "choveram" críticas e xingamentos por parte dos deputados da oposição, inconformados com a "dança das cadeiras".

O deputado Major Olímpio (SP) foi um deles. Segundo a Folha de S. Paulo, ele disse ter sido tratado como "corno", sendo o "último a saber" que seria retirado do posto que ocupava na CCJ, pelo seu partido, o Solidariedade, indo parar na cadeira de suplente. O objetivo era dar lugar a alguém que votasse a favor de Temer.

E assim foi feito com mais 24 parlamentares. O resultado se viu ao fim da votação: 40 votos contra e apenas 25 a favor do relatório de Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), favorável à aceitação da denúncia do MPF contra o presidente. Houve ainda uma abstenção.

Ainda segundo o jornal, dos 40 membros do colegiado pró-Temer, 12 foram colocados nos últimos dias. A CCJ é formada por 66 parlamentares, mais 66 suplentes. Os partidos são os donos das cadeiras e podem mexer a gosto, mesmo contra a vontade do parlamentar.

"Este governo é bandido, é covarde", bradou. "Cambada de bandido! Está tudo grudado no saco do governo! Quem manda é o Temer, esse bandido! É um lixo de governo! Quadrilha organizada!", afirmou o deputado Delegado Waldir (PR-GO), que há dois anos era membro do colegiado e foi deposto.

A oposição ainda tentou barrar a manobra, entrando com ação no Supremo Tribunal Federal, mas a ministra Cármen Lúcia entendeu que o tema só diz respeito ao Congresso.

Com a repercussão negativa, mas aliviado, Temer respondeu às críticas e disse, por meio de sua assessoria, que "esse procedimento é atribuição exclusiva dos líderes partidários e que só eles podem responder pelas trocas feitas segundo o regimento da Câmara".

No topo das maiores manobras políticas dos últimos 20 anos está o movimento orquestrado, também pelo governo Temer, no fim do ano passado, quando partidos fizeram 34 substituições para aprovar a reforma da Previdência.

Última modificação emSexta, 14 Julho 2017 13:15

Comentar usando o Facebook:

voltar ao topo

logo sapuca

 

Mais notícias nacionais

Mais de R$ 1,6 bi do Abono Salarial ano-base 2016 ainda estão disponíveis para saque

Mais de R$ 1,6 bi do Abono Salarial ano-base 2016…

Valor pode ser sacado por 2,2 milhões trabalhadores; prazo para ter acesso ao benefício acaba no dia 29...

ProUni oferece 174 mil vagas; inscrições começam dia 26

ProUni oferece 174 mil vagas; inscrições começam dia 26

Estudantes que quiserem concorrer a bolsas de estudo no ensino superior poderão se inscrever no Programa Universidade para ...

Número de refugiados bate novo recorde e atinge 68,5 milhões

Número de refugiados bate novo recorde e atinge 68,5 milhões

O número de pessoas forçadas a se deslocar no mundo bateu novo recorde, tendo aumentado 2,9 milhões em 2017 e...

Polícia Federal abre concurso para 500 vagas

Polícia Federal abre concurso para 500 vagas

A Polícia Federal publicou retificações ao edital nº 1-DGP/PF do concurso púb...

Colheita de café no Brasil ganha ritmo, mas segue com atraso

Colheita de café no Brasil ganha ritmo, mas segue com…

No arábica, os trabalhos voltam ao normal depois da greve dos caminhoneiros

Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta questões

Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta…

"Se beber, não dirija". A frase, usada frequentemente em campanhas publicitárias na televisão e no rád...

cia medica

Info for bonus Review bet365 here.

Whatsapp banner