Menu
sapucanet.fw.jpg

Parada do Orgulho LGBT chama sociedade para se opor ao fundamentalismo Destaque

Parada do Orgulho LGBT chama sociedade para se opor ao fundamentalismo

A maior parada LGBT do mundo, em sua 21ª edição, traz como tema a importância do Estado laico e alerta para retrocessos no respeito à diversidade

Retrocessos em relação ao respeito à diversidade e o avanço do conservadorismo pautam a 21ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. O tradicional evento ocupa a avenida Paulista no domingo (18), a partir das 10h. Após concentração no vão livre do Masp, o público segue em caminhada até o Anhangabaú, pela rua da Consolação, embalados por artistas como Daniela Mercury e Anitta. O evento será apresentado pela drag queen Tchaka.

Com o tema  “Independente de nossas crenças, nenhuma religião é Lei! Todas e todos por um Estado Laico", aParada convida a todos para pensar, entre outras questões, na ascensão do fundamentalismo religioso no Brasil.

"Grupos de pessoas dentro de algumas religiões insistem em nos condenar e retirar direitos já adquiridos. No Congresso Nacional, por exemplo, o debate sobre a criminalização da LGBTFobia é repleto de ataques de parlamentares da bancada religiosa e conservadora, muito dos quais utilizando-se de suas imunidades parlamentares para disseminar o ódio a uma parcela da população", afirma a presidenta da Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros de São Paulo (APOGLBT), Claudia Regina.

A natureza laica do Estado, prevista na Constituição Federal, deveria impedir que, sob pretextos religiosos, parlamentares promovessem ataques a segmentos sociais distintos dos deles. "A laicidade do Estado democrático garante respeito à diversidade religiosa, humana e cultural. O Estado deve assegurar todos os direitos humanos, tais como a liberdade religiosa, o direito de cada cidadão exercer ou não a religiosidade que quiser, mas deve ser garantida a não discriminação. Além disso, é necessária a autonomia do Estado frente às igrejas, garantindo sua imparcialidade", continua Claudia.

A secretária de políticas sociais da CUT São Paulo, Kelly Domingos, concorda com os perigos do avanço conservador e fundamentalista no país, em especial na política. "Vivemos num clima de instabilidade política, de golpe, onde o fascismo também mostra sua cara. Um cenário em que a bancada fundamentalista coloca as garras de fora. E é aí que a discriminação e o preconceito ficam em evidência, assim como a violência, principalmente contra populações como a LGBT", afirma. A Parada deste ano será embalada por 19 trios elétricos. A CUT participa do evento no 11º trio

Como exemplo da interferência do fundamentalismo religioso na política, Claudia lembra de projetos que tramitaram recentemente no Legislativo. "Os exemplos são inúmeros – e desumanos. É proposta legislativa federal o Estatuto da Família, que, com base unicamente em argumentos religiosos, não reconhece como legítimos e legais diversos arranjos familiares, inclusive com responsáveis legais LGBT", afirma.

"Vimos nos anos de 2015 e 2016 retrocessos na promoção da igualdade de gênero nos planos de educação articulados por bancadas legislativas católicas e evangélicas, e referendadas por chefes do Poder Executivo. E ainda há trabalho para que o ensino religioso no sistema público de educação seja confessional, ao invés de propor visão secular da história das religiões. Seria o Estado a serviço do fundamentalismo religioso", completa a ativista.

Por fim, Claudia reafirma a importância do evento, que é a maior Parada do Orgulho LGBT do mundo. "Convocamos nesse momento e para fortalecer nosso movimento e luta, as mulheres, as pessoas negras, as minorias religiosas, minorias étnicas, ateus e agnósticos, para estar na Parada LGBT, trazendo seu protesto, sua manifestação em favor do Estado laico e em defesa da igualdade."

Fonte: Rede Brasil 

 

Comentar usando o Facebook:

voltar ao topo

logo sapuca

 

Mais notícias nacionais

Mais de R$ 1,6 bi do Abono Salarial ano-base 2016 ainda estão disponíveis para saque

Mais de R$ 1,6 bi do Abono Salarial ano-base 2016…

Valor pode ser sacado por 2,2 milhões trabalhadores; prazo para ter acesso ao benefício acaba no dia 29...

ProUni oferece 174 mil vagas; inscrições começam dia 26

ProUni oferece 174 mil vagas; inscrições começam dia 26

Estudantes que quiserem concorrer a bolsas de estudo no ensino superior poderão se inscrever no Programa Universidade para ...

Número de refugiados bate novo recorde e atinge 68,5 milhões

Número de refugiados bate novo recorde e atinge 68,5 milhões

O número de pessoas forçadas a se deslocar no mundo bateu novo recorde, tendo aumentado 2,9 milhões em 2017 e...

Polícia Federal abre concurso para 500 vagas

Polícia Federal abre concurso para 500 vagas

A Polícia Federal publicou retificações ao edital nº 1-DGP/PF do concurso púb...

Colheita de café no Brasil ganha ritmo, mas segue com atraso

Colheita de café no Brasil ganha ritmo, mas segue com…

No arábica, os trabalhos voltam ao normal depois da greve dos caminhoneiros

Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta questões

Lei Seca soma dados positivos após 10 anos, mas levanta…

"Se beber, não dirija". A frase, usada frequentemente em campanhas publicitárias na televisão e no rád...

cia medica

Info for bonus Review bet365 here.

Whatsapp banner